Connectarch estreia Conexões Brasil – Fernando de Noronha

Connectarch estreia Conexões Brasil – Fernando de Noronha

Por Camila Mayume

Arquitetos e designers de interiores viveram uma verdadeira experiência através da biomimética 

Nos últimos dias, as marcas Eliane e Decortiles promoveram, através do Connectarch, o Conexões Brasil – Fernando de Noronha, uma verdadeira experiência com a presença de 14 profissionais de arquitetura e design de interiores de vários estados do Brasil. Os convidados fazem parte do programa de relacionamento e embarcaram em uma jornada imersiva e fascinante pelo arquipélago Fernando de Noronha, onde puderam conhecer e despertar o olhar criativo através do workshop de biomimética, ministrado pelo designer, cofundador e CEO da agência Tátil, Fred Gelli, junto com a bióloga e designer, Thalita Campbell

A programação começou logo após o desembarque no aeroporto de Fernando de Noronha, no dia 23 de outubro, e de lá, direto para a Pousada Paraíso, onde o grupo trocou as primeiras impressões, pôde conhecer um pouco mais a ilha e se preparar para o jantar de boas-vindas no Restaurante Delícias da Ná, local aconchegante e com um menu criado especialmente para o grupo.   

No segundo dia, após o café da manhã na pousada, o grupo teve o primeiro contato com os biomas de Noronha, com o rico workshop com o tema ‘Biomimética’. O assunto foi vivenciado na prática, em uma caminhada rumo à exploração da jornada evolutiva da vida. Na sequência, os profissionais aprofundaram a teoria da biomimética e acompanharam apresentação de cases reais. 

No dia seguinte, os profissionais puderam aproveitar mais uma etapa do workshop e, dessa vez, com o tema “A natureza como vetor de inspiração criativa”, em que puderam explorar ainda mais o olhar no ambiente e nas inovações a partir dos ecossistemas naturais. Após a atividade, os participantes tiveram a tarde e a noite livre para explorar o local.   

“Quando você pensa no Brasil, a natureza brasileira é super exuberante, é conhecida no mundo inteiro. Nós temos Amazônia e Pantanal! E outra coisa que pensamos é que, por exemplo, 75% de toda cerâmica produzida no mundo está mimetizando a natureza, como madeiras, mármores e pedras. Mas, quando fazemos isso no Brasil, copiamos o mármore italiano, o carvalho americano, sendo que temos a maior diversidade geológica do planeta. E por que copiamos o Carrara? Essa ideia é aberta e imaginamos desenvolver essas linhas que seriam inspiradas na natureza brasileira com as áreas criativas de cada um dos fabricantes de cerâmicas. Então, no Salão de Milão ou de Bolonha, teríamos um espaço das cerâmicas do Brasil, em que teriam os principais fabricantes mostrando os seus novos skus inspirados na natureza brasileira, e isso seria um diferencial criativo”, analisa Fred. 

A manhã do quarto dia também foi dedicada a conhecer a natureza do local, e o dia encerrou com um sunset incrível no Mergulhão, bar tradicional em um dos pontos mais altos da ilha com uma vista inesquecível. 

“Eu achei muito legal, eu realmente não conhecia, a arquitetura em si é uma questão orgânica, achei a relação com os pássaros incrível. Foi como se fosse um tapa na cara depois de tantos anos! O fato de estar fazendo 30 anos de escritório e aprendendo coisas novas com uma galera nova é muito legal, vira uma evolução. Temos que ser assim sempre, não podemos parar, sempre aprendendo. Eu com 62 ainda estou aprendendo, é a vida!”, relata Valéria Barros, do escritório Valéria Araújo Arquitetura e Planejamento, no Rio de Janeiro, sobre o workshop de biomimética. 

“Vou aderir mais esses conhecimentos no escritório e entender um pouco mais sobre o que a natureza tem para contribuir em tudo que a gente faz como arquiteto, e entender também as consequências que deixamos, como o lixo que a gente gera, seja de alimento ou de obra, o impacto que as nossas decisões pode deixar para a natureza. Vale repensar: “eu sou originário de tudo isso aqui e eu estou acabando com isso aqui”, como se colocassem a gente no eixo novamente”, conta William Ferreira, proprietário do escritório William Campos Arquitetura, na Bahia, sobre a imersão do workshop. 

“Não posso deixar de agradecer à Eliane e Decortiles pelo evento maravilhoso que fizeram por aqui e pelos arquitetos incríveis que tive a oportunidade de conviver nesses dias e aprender muito com eles. E, especialmente, a presença de Fred Gelli, que veio para arrasar e mostrar que existe um pensamento biomimético, que não é uma coisa para usar e, sim, começar a pensar biomimeticamente, e com a presença da Thalita tudo ficou incrível”, agradece a arquiteta Rafaela Zanirato, diretora do escritório Truvian Arquitetura em Sinop, Mato Grosso. 

Confira as fotos do Conexões Brasil – Fernando de Noronha

Copyright © 2021 | Todos os direitos reservados à Connectarch | By Neurodigital