Conheça os ganhadores do Pritzker 2021

Conheça os ganhadores do Pritzker 2021

O Prêmio Pritzker de Arquitetura é equivalente ao “Prêmio Nobel” para os arquitetos cunhando internacionalmente a competência e habilidade do profissional.

Por WBK Comunicação

A honraria existe desde 1979, desenvolvida pelo casal milionário Jay e Cindy Pritzker, donos do sistema de hotéis Hyatt. O objetivo da família era nobre e pretensioso: estimular arquitetos e urbanistas a serem mais ousados, singulares e monumentais.

Em vista disso, o resultado que eles esperavam se concretizou: em cada uma, das mais de 40 edições, o Prêmio Pritzker tem revelado mentes brilhantes, que vão muito além do senso estético, contemplando questões sociais, ambientais e históricas.

Incrível, não acha? O mais interessante é que o profissional só se qualifica ao Prêmio Pritzker caso ele tenha, de fato, ajudado a humanidade, como um todo, por meio da sua obra. Recebendo um certificado de conquista, junto com 100 mil dólares.

Entre os brasileiros que já ganharam o Pritzker, o primeiro foi Oscar Niemeyer em 1988. Mais tarde, em 2006, o capixaba Paulo Mendes da Rocha foi contemplado com o mérito. Ambos, lamentavelmente, in memorian.

Quem foram os ganhadores de 2021?

Anne Lacaton e Jean-Philippe Vassal

Os vencedores do Prêmio Pritzker 2021 foram Anne Lacaton e Jean-Philippe Vassal, cônjuges e fundadores do escritório de Arquitetura Lacaton & Vassal.

O casal francês, há mais de 30 anos desenvolve projetos com um visual não tão chamativo, mas totalmente sustentável, socialmente eficaz e versáteis. Anne e Jean são totalmente contra a demolição de prédios para o desenvolvimento de projetos mais “modernos”.

Segundo eles, “a demolição é a solução mais fácil, mas também é um desperdício de energia, materiais, história e também um ato de violência. A transformação é fazer mais e melhor com o que existe”.

Este pensamento sustentável lidera todos os projetos do casal de arquitetos, e foi um fator fundamental para sua premiação.

O que os destaca?

O principal diferencial dos ganhadores, como citado anteriormente, é a habilidade e pensamento estratégico e acertado sobre as construções que já estão inseridas no ambiente, sem demoli-las.

Com essa ideia surgiu à primeira contribuição do casal para a arquitetura e sociedade: a construção da Casa Latapie, em 1993, para os pais de Anne, na região de Floriac, na França.

O projeto, que imitava soluções de estufas, foi um sucesso. Eles incluíram polímeros na fachada que exerciam função isolante, mantendo a iluminação e temperatura agradáveis, de acordo com a estação do ano. O resultado foi a redução do gasto com energia, economia e simplicidade do local.

Casa Latapie/Foto cortesia de Philippe Ruault

Iniciativa de respeito: Praça Léon Aucoc de Bordeaux

Para que você entenda ainda melhor o porquê da premiação de Lacaton & Vassal, saiba que em 1996 a prefeitura de Bordeaux, na França, solicitou a ajuda do casal para embelezar e reformular alguns aspectos da Praça.

Mas, ao analisar o local e conversar com os moradores e pessoas que utilizavam a praça frequentemente, Anne e Jean perceberam que as mudanças solicitadas pela prefeitura eram desnecessárias e um desperdício de dinheiro público.

Por isso, ao invés de desenhar novos projetos de “modernização” do ambiente, o casal deu sugestões à Prefeitura de como o orçamento estipulado poderia ser melhor aproveitado em manutenções e limpeza para a praça.

Assim, a honestidade e respeito de Anne Lacaton e Jean-Philippe Vassal pelo patrimônio histórico local foi contagiante e marcou profundamente a região.

Transformação de 530 apartamentos no Grand Parc Bordeaux: projeto incrível

Foto cortesia de Philippe Ruault

Quando falamos em diferenciais do conceito arquitetônico de Lacaton & Vassal, não podemos deixar de incluir o incrível projeto desenvolvido pelo casal, juntamente com Christophe Hutin e Frédéric Druot, em 2016.

Foram reformadas e reformuladas 530 habitações sociais, distribuídas em 3 edifícios no Grand Parc Bordeaux utilizando o mesmo princípio de isolamento e sustentabilidade da casa Latapie: manter as características históricas do edifício desenvolvido nos anos 60 da forma mais sustentável e econômica possível.

Alguns elementos que tornaram o projeto único e mais versátil foram:

  • Pouca alteração da estrutura existente;
  • Implementação de janelas maiores;
  • Melhoria dos espaços interiores;
  • Ampliação da área útil;
  • Substituição das pequenas portas antes inexistentes por portas de vidro;
  • Nova instalação elétrica;
  • Reforma dos banheiros;
  • Novo projeto de paisagismo nos jardins;
  • Sistema de isolamento térmico nas fachadas dos edifícios, melhorando o desempenho energético do local.

Tudo isso garantiu aos moradores a diminuição das contas de energia e melhor aproveitamento do espaço, por meio de um baixo valor gasto, dentro do orçamento originalmente estabelecido.

Sem dúvidas, a satisfação dos moradores e o sentimento de “dever cumprido” deve ter reinado entre os profissionais ao final de uma obra tão admirável.

O posicionamento, a honestidade e o pensamento sustentável acima de qualquer ganho ou modernização, deixa claro o porquê do escritório Lacaton & Vassal receber o prêmio.

Idealização do projeto “de dentro para fora”

Por fim, é importante deixar claro um dos pontos mais característicos do casal ganhador: seu princípio de olhar o projeto como parte de um contexto maior já existente.

Isso significa, segundo eles, analisar o que pode ser feito com a estrutura em questão conforme a cidade, sociedade e as memórias culturais que já estão ali – sempre com o objetivo de transformar, expandir e melhorar algo que já existe.

Sem dúvidas, essa característica marcante do escritório Lacaton & Vassal deve servir de inspiração para a construção da identidade profissional de qualquer arquiteto.

Conheça alguns projetos do escritório Lacaton & Vassal fotografados por Philippe Ruault

Vem ai, a 2ª edição do Connectarch Summit!

Vem ai, a 2ª edição do Connectarch Summit!

Copyright © 2021 | Todos os direitos reservados à Connectarch | By Neurodigital